“APRENDA A USAR O FLASH PORTÁTIL – GOLDEN HOUR (SUNSET)”


FLASH PORTÁTIL DUAL-POWER QUANTUUM  + BEAUTY DISH 72 CM 

FOTO 1:
Joana Colaço Golden Hour

(VELOCIDADE: 1/125 | F-STOP: 18 | ISO: 100 | FLASH: SIM)

OlÁ, Amigos da EFO!

Sou fotógrafo profissional há 30 anos e venho de um tempo onde não havia chance de estar no mercado sem estar preparado para a tremenda responsabilidade na hora de assumir um trabalho para um cliente e não tinha essa de “depois dou um jeitinho no Photoshop” (que nem existia).

Tudo tinha que estar correto no clic e para isso há um forma de raciocinar que faz toda a diferença no meu trabalho em digital que tem uma ligação concreta com as duas tecnologias e me permite explorar ao máximo o meu equipamento sem sair como louco comprando, comprando, comprando!!!

Tenho alunos espalhados pelo mundo (www.escoladefotografiaonline.com/testemunhos) e a palavra “comprar” é a primeira a ser proibida durante o curso para poder fazer com que o “ganhar” faça parte do pensamento de empresário e poderem rentabilizar tudo o que já investiram através de uma abordagem profunda dos seus equipamentos.

Digo, e repito sempre, “que quanto menos precisarmos de photoshop/lightroom, mais tempo temos para fotografar e conquistar novos clientes que querem profissionais que entreguem rapidamente o trabalho tratado sem gastar dias acertando o que ficou errado e que, no fim, entregam poucas opções para escolha” porque, na verdade mais dura, não dominam a técnica de fotografar.”

Neste tutorial o meu grande objetivo foi aproveitar os tons red/orange/yellow que só se conseguem na “golden hour” que deveria chamar “golden minutes” pois dura, no máximo, 15 minutos e criar  uma medição combinada feita com flashmeter e fotometer.

O equilíbrio entre a luz natural e o flash portátil é a parte mais importante do raciocínio do set up (nos poucos minutos) e eu uso (aqui principalmente) o fotometro. Partindo da medição do fundo, com o fotometro em modo “ambient” na zona 5 do sistema de zonas e escolho em que zona quero o resultado final, normalmente, zona 4 para ganhar mais “drama” na densidade das cores.

LIGHT SETUP JOANA COLAÇO

Feito isso, penso (aceleradamente!!!) Na iluminação frontal e descobri que o beauty dish é fantástico para iluminar planos mais abertos pois tem uma distribuição muito mais homogênea comparado com qq outro modifier (softbox, octabox, sombrinha, etc).

Procuro sempre trabalhar com velocidades entre 1/60 e 1/125 ajustando o ISO ideal (Lei da Reciprocidade) porque assim consigo fotografar com mais liberdade sem o tripé que é como eu gosto de escolher o enquadramento

Aqui vai uma dica “mais que top!” que é ajustar o balanço de brancos para 6.000 k na camera para que os tons de pele fiquem mais “quentes” (mais baixos na escala kelvin) ou, para os que ainda não são “íntimos” do menu das próprias cameras, ajustar o wb para uma situação “shade” que funciona bem.

Faço uma medição com o flashmeter por todo o enquadramento da modelo (cabeça, cintura e pés) para ter a certeza de que todos os evs são muito próximos com uma diferença máxima de +/-0,3 de fstop.

Tudo tem que estar preparado antes de 5 minutos dos “golden minutes”

Mais alguns exemplos dessa “golden session”: 🙂

FOTO 2:
Joana Colaço

(VELOCIDADE: 1/125 | F-STOP: 20 | ISO: 100 | FLASH: SIM)

FOTO 3:

Joana Colaço

(VELOCIDADE: 1/125 | F-STOP: 7.1 | ISO: 200 | FLASH: NÃO)

Reparem que na foto 3 o fundo está branco mas o primeiro plano está idêntico às outras e aparece definido … Eu explico …

Uma das bases da técnica da fotografia com flash (qualquer tipo) em combinação com a luz natural é:

  • O que controla a luz ambiente é a velocidade de obturação!!!
  • O que controla a intensidade do flash (na imagem) é a abertura!!!

Na prática, isso significa que se eu quiser um fundo bem definido tenho que ajustar pela velocidade sempre abaixo do sincronismo da camera e depois incluir o flash (fotos 1 e 2).

Na foto 3 com o fundo muito mais claro, o raciocínio é completamente diferente porque não há flash de preenchimento e a medição foi feita na pele com a própria camera em modo pontual o que pediu um aumento (+2ev) no iso (de 100 para 200) e a fotometria pediu uma abertura maior (3 fstops +0,3) fazendo com que o fundo ficasse com uma exposição completamente diferente.

Para os que ainda não entenderam muito bem vou colocar algumas imagens e vai dar tudo certo … Não se preocupem … Vai ficar tudo muiiiiiiiiiiiito fácil de entender!!!

SET UP DA ILUMINAÇÃO:
SET UP

RESULTADOS DA ILUMINAÇÃO: FUNDO COMBINADO COM FILL FLASH

MONTAGEM EXPLICATIVA

DICA IMPORTANTE: Como na Golden Hour o sol está muito próximo da linha do horizonte, a própria modelo faz a função de “bandeira” para proteger a lente da invasão de luz (flare)..

Esta foi uma sessão que preparei especialmente para o meu irmão brasuca marco bavini quando veio do brasil para estudar comigo e participar dos devaneios fotográficos que rolou no sanatório de valongo https://www.youtube.com/watch?v=cDBUO48J5Ts

 

O seu  I LIKE (no rodapé) é muito importante para a EFO poder crescer!!!
(subscreva a newsletter da EFO e receba um aviso dos novos tutoriais)

Um grande abraço a Todos,

É NÓIS!!! TAMUJUNTO!!!

Modelo: Joana Colaço
Make up/Hair: Diana Pereira
Fotografia: Fernando Bagnola | Luis Freitas | Marco Bavini

197px-Copyright.svg(TODOS OS DIREITOS RESERVADOS –  COPYRIGHT 2014)



Fernando Bagnola, nascido em São Paulo, fotógrafo profissional desde 1984 atua nas áreas de moda e publicidade, vive em Portugal há 7 anos e desenvolve formações de Técnica Fotográfica e Edição no Photoshop através de workshops e cursos ao vivo por vídeo-conferência tendo alunos formados no Japão, Inglaterra, Brasil e Portugal.

Fernando Bagnola (by Max Moor) portfolio: www.fernandobagnola.com                   workshops: http://workshop.fernandobagnola.com 

6 comentários a ““APRENDA A USAR O FLASH PORTÁTIL – GOLDEN HOUR (SUNSET)”

  1. Muito boa esta demonstração, gostaria de ter o se contacto para um futuro curso de fotografia nesta área mais específica da utilzação de luz artificial muito obrigado.

  2. Olá Fernando!

    Muito bom seu artigo sobre a iluminação com flash externo em locais externos. E noto que hoje em dia a maioria dos “novos” fotógrafos, tem uma grande preoculpação com o tipo da câmera. Quanto mais moderna e cara ela for, mais eles se acham melhores fotógrafos que os outros. Também sou do tempo do filme preto e branco, côr e cromo, onde eu saia pra rua com 1 ou 2 filmes em alguma pauta de jornal, e tinha que trazer um bom material. Muitas das vezes aquela ansiedade esperando o laboratorista revelar os filmes para poder saber como ficaram. E hoje a maioria dar uns clicks e olha para ver se esta bom e ai acerta…..Quero ver dar um filme só de 36 poses e cromo e trazer um bom material com diferentes tipos de luz. Muito bacana todos seus artigos e gosto muito quando vc mostra fotos com a Canon 20D, que eu também tive uma de 8 megapíxel. É isso amigo!!!! Ronaldo Caldas

Responder a Fernando Bagnola Cancelar resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *