FOTOGRAFIA DE MODA | “A LUZ FEMININA”

Olá, Amigos da EFO!!

Primeiramente, quero agradecer pelo grande apoio que tenho recebido de vocês a este meu projeto que estava guardado no meu coração há vários anos!!! 🙂

Aqui estou mais uma vez para contar alguns dos meus truques profissionais para que Você possa aplicar essas técnicas nas suas fotos seguindo a receita com atenção … não falha, eu garanto!!! E outra coisa muito importante … todas as fotos digitais deste tutorial foram feitas com uma camera 20D de 8,2 megapixels, supostamente obsoleta, e quero com isso mostrar e provar aos meus amigos que não tem aquelas supercameras que o que vale mesmo é a lente (algumas foram feitas em filme (fotografia analógica) com uma NIKON F5). A grande diferença das cameras atuais está na capacidade de trabalhar bem com ISO elevado, mas em situações sob controle em estúdio ou onde a luz é suficiente, não há qualquer problema!!!!

Neste tutorial resolvi abordar um assunto que desperta muito interesse daqueles que me seguem que é “TÉCNICA DE ILUMINAÇÃO” … mas, atenção … que pode também ser feita com flashes portáteis atendendo aos que não possuem cabeças de estúdio profissionais. Na verdade,  o que mais importa é A LUZ e não a iluminação e durante toda a minha carreira tento criar soluções caseiras eficientes muito mais baratas que melhoram a rentabilidade ($$$$!!!) e, principalmente, conduzem os meus orçamentos a níveis mais agradáveis para o meu Cliente. Vou dividir as coisas em duas etapas para que Você possa entender e praticar até dominar o raciocínio técnico:

1) Iluminação FEMININA

2) Iluminação MASCULINA

Há muitas diferenças entre as duas formas e não vejo muita gente ensinando algo tão importante para aqueles que gostam de fotografar Moda, Books, Beauty e Retratos (femininos).

Aqui vamos nós!!!!

CONFIGURAÇÃO TÉCNICA DA ILUMINAÇÃO FEMININA:

A Luz Feminina tem como característica principal a iluminação dos dois lados do rosto com diferenças pequenas nos valores de exposição (EV-0,6 no máximo entre luz principal e preenchimento), ou seja, devemos sempre trabalhar com as fontes percorrendo o arco dentro da área branca de 90º a partir da modelo conforme a ilustração abaixo:

luz feminina

Exemplos:

montagem luz feminina (Fotos: Fernando Bagnola)

Fiz questão de escolher algumas imagens de Retrato e outras com planos mais abertos (plano americano e corpo inteiro) pois assim você consegue perceber que essa técnica se aplica a todos os enquadramentos facilitando muito o trabalho durante uma sessão fotográfica.

ATENÇÃO: Opte pelas distâncias focais mais altas ao invés de usar Zoom In/Zoom Out para evitar distorções trazidas pelas lentes angulares abaixo dos 50mm.

Exemplos: Se tiver uma lente 18-55, vá para 55 e dê passos para trás ou para a frente até chegar no recorte visual que pretender. Se a sua lente for 70-200 já estará mais confortável para usar o Zoom In/Out porque tem um conjunto de distância focais mais adequadas e afastadas do “perigo” das distorções normais no primeiro plano causadas pelas lentes mais angulares. Ou seja, sempre use a distância focal a partir de 50mm.

É muito importante, também, não pensar que somente a iluminação completamente frontal é que garante bons resultados e que percorrer o arco dos ângulos (ilustração) pode ser muito interessante e criativo para manter a boa textura da pele ao mesmo tempo que produz sombras que devem ser suavizadas com refletores brancos (nunca uso o prateado por ser duro e “brigar” com a luz principal.

Vale lembrar aos que não possuem equipamentos de estúdio e acessórios de iluminação, eu SEMPRE vou dar opções tipo “faça você mesmo” … por isso, não desanime antes de ler tudo, ok?!

Até aqui tudo bem???!!! Ótimo!!! 

Então, vamos avançar!!!

Como escrevi logo no começo deste tutorial, não importa qual o equipamento de iluminação que tiver e, muito mais do que isso, é saber como adequar ao que quer obter em termos de LUZ. Muitas vezes, misturo as coisas e utilizo flashes portáteis  “em conversa” com as cabeças de estúdio para aproveitar o controle preciso que “os pequeninos” têm na configuração das potências de 1/1 a 1/128 … que “os grandões” não conseguem sozinhos!

Preparei um esquema de iluminação que usei recentemente com uma modelo e bailarina portuguesa, Joana Colaço, que foi construído exatamente desta maneira, como segue:

IMG_0316(modelo: Joana Colaço/makeup & hair: Diana Pereira)

Reparem como o resultado já sai da camera muito suave e que a textura da pele não se perde. Uma das dicas, quase um segredo mesmo, é conseguir que as sombras sejam sempre “abertas” com baixo contraste em relação às zonas de altas luzes … e o segredo é manter as luzes muito próximas da modelo (1 no esquema abaixo)  pois quanto mais perto elas estiverem mais suave será a iluminação. Sei que muita gente faz aquela cara de ponto de interrogação quando eu afirmo isso mas, por incrível que possa parecer, é isso mesmo que acontece. Ou seja, se quiser contraste mais “duro” afaste a iluminação!!!!! (em breve faço um tutorial sobre isso para vocês).

Aqui vai o esquema que é dividido em duas cores para facilitar a compreensão do meu raciocínio técnico, onde:

LightingSetup

EM AZUL: O TIPO DE ACESSÓRIO QUE ESTÁ A FRENTE DA FONTE DE LUZ. VERMELHO: O TIPO DE EQUIPAMENTO UTILIZADO.

EQUIPAMENTO DE ILUMINAÇÃO:

1/3/4: CABEÇAS DE FLASH (TODOS IGUAIS COM ½ POTÊNCIA)

OBS: (PODEM SER TODOS FLASHES PORTÁTEIS COM TRIGGERS)

1) LUZ PRINCIPAL COM CABEÇA DE FLASH (KEY LIGHT).

3) LUZ DE RECORTE PARA CABELOS E OMBROS (HAIR LIGHT).

4) LUZES DE RECORTE PARA AS LATERAIS DO CORPO.

2: FLASH PORTÁTIL COM 1/16 POTÊNCIA (LUZ DE PREENCHIMENTO DAS SOMBRAS NO PESCOÇO E NARIZ)

ACESSÓRIOS DE ILUMINAÇÃO (MODIFIERS):

A: BEAUTY DISH 70 CM COM DIFUSOR FRONTAL (SOFT LIGHT)

B: BEAUTY DISH 50 CM COM DIFUSOR FRONTAL (SOFT LIGHT)

C: SOFTBOX 40X40 CM COM DIFUSOR DUPLO (CENTRAL E EXTERIOR)

D: PAINÉS DIFUSORES 2X1,5 M (ou cortinas brancas de chuveiro)

Uma dica que pode ser fundamental para que Você decifre outros esquemas de iluminação é observar com atenção os brilhos do olho numa fotografia (catch light) pois tudo fica ali guardado para quem quiser saber como o fotógrafo pensou.

A partir de agora, sempre que for fotografar uma mulher, pense em tudo o que aprendeu aqui, principalmente, no ângulo que não ultrapasse 45 graus para a direita/esquerda para poder iluminar os dois lados do rosto (conforme gráfico na página1).

No próximo tutorial vou ensinar como é a LUZ MASCULINA que é completamente diferente em todos os sentidos e que acabará por completar aquilo que vai ajudar Você a melhorar substancialmente a técnica de iluminar.

Se você gostou deste tutorial, subscreva a nossa newsletter e ajude a EFO com o seu valioso icone-curtir-facebook-contato (no final deste artigo).
Obrigado e até a próxima!!! É NÓIS!!! 🙂

1546066_429063800556862_1901693311_nFernando Bagnola, nascido em São Paulo, fotógrafo profissional desde 1984 atua nas áreas de moda e publicidade, vive em Portugal há 7 anos e desenvolve formações de Técnica Fotográfica e Edição no Photoshop através de workshops e cursos ao vivo por vídeo-conferência tendo alunos formados no Japão, Inglaterra, Brasil e Portugal.
portfolio: www.fernandobagnola.com                         workshops: http://workshop.fernandobagnola.com 

CORREÇÃO DA ABERRAÇÃO CROMÁTICA DA SUA LENTE NO CAMERA RAW E PHOTOSHOP

Olá, Amigos da EFO!!!

Hoje vou ensinar uma técnica muito simples e rápida usando o Camera Raw e o Photoshop para corrigir a aberração cromática melhorando a qualidade final das suas fotografias.

Se você gostou desse video-tutorial, apoie este meu projeto de ensino gratuito deixando o seu valioso “Like” no rodapé desta página e também na página da EFO no facebook www.facebook.com/escoladefotografiaonline

Muito obrigado!!!

Abreijos … É NÓIS!!!! TAMUJUNTO!!! 🙂

Modelo: Mariana Alessandra
Make up/Hair: Mariana Alessandra
Styling: US
Making of (video em breve): Pedro Alexandre
Fotografia/Direção: Fernando Bagnola

Fernando Bagnola (by Max Moor)

Fernando Bagnola, nascido em São Paulo, fotógrafo profissional desde 1984, atua nas áreas de moda e publicidade, vive em Portugal há 8 anos e desenvolve formações de Técnica Fotográfica e Edição no Photoshop através de Workshops de Iluminação e Cursos à distância (Skype) por vídeo-conferência com alunos formados no Japão, Inglaterra, Brasil e Portugal.


portfolio: www.fernandobagnola.com               workshops: http://workshop.fernandobagnola.com

 

FOTOGRAFIA DE MODA | ILUMINAÇÃO TRIANGULAR COMBINADA EM EXTERIOR

APRENDA A USAR O FLASH PORTÁTIL”
“ILUMINAÇÃO TRIANGULAR COMBINADA: LUZ NATURAL + FILL FLASH COM SPEEDLITE NA CAMERA + PHOTOGEL CTO 1/4 + FILL LIGHT NATURAL”

IMG_7170-3

Olá, Amigos da EFO!!!! (Y)

Quantas vezes eu ouço dos meus Alunos Individuais ou nos Workshops, esta frase: “-Eu preciso melhorar o meu equipamento!”

Quando eu pergunto qual equipamento esta pessoa tem, normalmente, a resposta é:

“-Você já tem tudo o que precisa para começar a ganhar dinheiro e não precisa gastar nada!!!”

Basta escolher um nicho de mercado que esteja adaptado ao equipamento e ir capitalizando até poder fazer um upgrade no equipamento e avançar para novas áreas da fotografia profissional.

Exemplo: Se você gosta de Fotografia de Moda, pode perfeitamente atender as Agências de Modelos, Bloggers de Moda, Books, … e não precisa de uma full frame já que as cameras atuais com sensor APS-C são muito mais baratas e o mais inteligente é investir em boas lentes que no futuro sejam compatíveis com uma full frame. O que vejo na maioria das vezes, é gente que tem uma camera caríssima e fica sem dinheiro para comprar uma boa lente optando por marcas alternativas por serem mais baratas … ERRADO!!!! (o mais inteligente é fazer o contrário pq a lente faz toda a diferença!!!)

Foi por isso que resolvi criar uma série de sessões onde uso uma camera EOS 20D com “só” 8,2 megapixels e desta forma provo que minha teoria funciona!!! Escolhi a objetiva 50 mm/2.5/ Compact Macro/ 1:1 (1/3 de fstop mais luminosa do que as 2.8 e me dá 1 fstop 32 em relação as que param no 22) que tem muita qualidade normalmente usada para os meus trabalhos de jóias em estúdio e um flash portátil 580 EX (anterior ao EX II) com o Photogel CTO 1/4 para utilizar em “modo” corretivo para reequilibrar o White Balance das zonas de sombra que tendem para Cyan (na faixa 6.500 a 7.000 Kelvin) … e pronto!!!

PHOTOGELS FILTERS 2

canon-eos-20d

ExpoImaging-Rogue-Flash-Gels

Canon-EF-50mm-f-2.5-Compact-Macro-Lens

Para tornar tudo muito mais adrenalizante, o autofoco dessa objetiva não é “Ultrasonic”(mais adequada para produtos) e, portanto, é muito lento para Moda, e isso me obrigou a usar o foco manual que é algo que já fazia no tempo da fotografia analógica.

O grande segredo do sucesso nunca está no equipamento e sim no cérebro de quem fotografa porque aqui há uma construção triangular associada à Lógica que a Fotografia contém e que poucos imaginam, infelizmente!

Usei aqui a fotometria manual com o meu inseparável fotômetro/flashmeter Minolta VF e comecei a fazer toda a fotometria a partir do fundo usando o Sistema de Zonas passando da Zona 5 para a Zona 8 como se estivesse expondo para as sombras para criar uma moldura mais clara para o corpo que estaria em contraluz.

Usei o cálculo do Numero Guia* deste flash (sempre em Manual) que é 58 para calcular a potência ideal dentro da Faixa Ótima* dos f/stops dessa lente que é de 7.1 a 18 (o Ponto Ótimo* é o fstop 11).

Resumindo a triangulação X, X/2 e X/4 (sempre com a precisão do fotometro/flashmeter para poder manter detalhes nos brancos que é fundamental na Fotografia de Moda):

X = Fundo
X/2 = Flash com metade da leitura fotométrica
X/4 = Fill light lateral da areia e paredão de pedra do lado direito.

Tenho absoluta certeza que todos os meus Alunos presenciais ou por SKYPE entenderam completamente tudo o que eu expliquei aqui e isso mostra, mais uma vez, que “O Cérebro é que tem de ser Full Frame e não a Camera!”.

Se você gostou desse tutorial, apoie este meu projeto de ensino gratuito deixando o seu valioso “Like” no rodapé desta página e também na página da EFO no facebook www.facebook.com/escoladefotografiaonline

Muito obrigado!!!

Abreijos … É NÓIS!!!! TAMUJUNTO!!! 🙂

Modelo: Mariana Alessandra
Make up/Hair: Mariana Alessandra
Styling: US
Making of (video em breve): Pedro Alexandre
Fotografia/Direção: Fernando Bagnola

Fernando Bagnola (by Max Moor)Fernando Bagnola, nascido em São Paulo, fotógrafo profissional desde 1984, atua nas áreas de moda e publicidade, vive em Portugal há 8 anos e desenvolve formações de Técnica Fotográfica e Edição no Photoshop através de Workshops de Iluminação e Cursos à distância (Skype) por vídeo-conferência com alunos formados no Japão, Inglaterra, Brasil e Portugal.


portfolio: www.fernandobagnola.com               workshops: http://workshop.fernandobagnola.com

TÉCNICA DE ILUMINAÇÃO COMBINADA: “O QUE É A ILUMINAÇÃO COMBINADA??”

ILUMINAÇÃO COMBINADA: “LUZ NATURAL + FILL FLASH COM SOMBRINHA TRANSLÚCIDA + PHOTOGEL CTO 1/4 CORRETIVO

aOlá, Amigos da EFO!!!
 
Sei que pode parecer pretensioso, e não é esta a intenção, mas o termo “Iluminação Combinada” aplicado à Fotografia foi criado por mim e é uma das coisas que mais me orgulho nesta minha estrada de 30 anos de casamento feliz com a Fotografia. Se fizerem uma pesquisa no Google “Iluminação Combinada” vão ver que tudo o que aparece tem uma ligação direta com o meu nome (e isso é uma prova incontestável considerando que é o maior motor de busca da atualidade na internet) sendo que os outros links são todos fora da Fotografia e dizem respeito à venda de produtos de iluminação em geral.  A essência desta técnica está, incondicionalmente, ligada ao aproveitamento da luz disponível que é sempre a mais potente dentro do ratio entre as outras luzes e não o contrário. Ou seja, tudo é ajustado fotometricamente à luz natural que prevalece sempre e o flash (ou luz contínua artificial) tem, no máximo, 1/2 da leitura do fotômetro evitando que aconteçam sombras duplas ou cruzadas que estragam todo o trabalho, na minha forma de ver a construção desta iluminação que traz muita qualidade nos detalhes em todos os planos do enquadramento. Portanto, só há “Iluminação Combinada” se houver Luz Natural que seja o ponto de partida no comando todas as medições e a partir dela é que as outras são configuradas pelo ratio X, X/2, X/4, X/8 e dai por diante (X=potência total, X/2=1/2 potência, X/4=1/4 potência, etc).
 
Nesta fotografia de hoje, a luz frontal vem de uma janela que foi combinada com outra diametralmente oposta onde usei flash portátil com sombrinha translúcida que criasse brilhos lineares (e não pontuais) nas costas, corpo e nos ombros.
 
Como a luz da janela não era direta e estavamos em ambiente fechado, a temperatura Kelvin nas costas da modelo tendia para Shadow (6.500 K) que é um pouco mais para o cyan e “mata” os tons Red/Orange/Yellow (todos os meus alunos já sabem como isso é importantíssimo para um bom fotógrafo).
ESCALA KELVINPor essa razão, usei o Photogel CTO 1/4 (206) no flash (5.500K) que devolve o White Balance para tons mais “quentes” (3.700K) como se houvesse duas janelas opostas corrigindo os padrões RGB para níveis normais sem saturar por adição (veja a tabela de conversão que segue abaixo).
PHOTOGELS FILTERS 2ExpoImaging-Rogue-Flash-Gels
 
Como o chão era de madeira, achei que estava um pouco monótono como moldura do corpo e resolvi colocar um tecido azul para criar maior contraste entre cores complementares (opostas) para equilibrar graficamente os tons “frios e quentes”.E para deixar tudo muito bem explicado, aqui vai o esquema de iluminação:
Captura de tela 2015-03-11 15.37.19Se você gostou deste tutorial, subscreva a nossa newsletter e ajude a EFO com o seu valioso icone-curtir-facebook-contato (no final deste artigo).
Obrigado e até a próxima!!! É NÓIS!!! 🙂

Fernando Bagnola (by Max Moor)Fernando Bagnola, nascido em São Paulo, fotógrafo profissional desde 1984, atua nas áreas de moda e publicidade, vive em Portugal há 8 anos e desenvolve formações de Técnica Fotográfica e Edição no Photoshop através de Workshops de Iluminação e Cursos à distância (Skype) por vídeo-conferência com alunos formados no Japão, Inglaterra, Brasil e Portugal.


portfolio: www.fernandobagnola.com               workshops: http://workshop.fernandobagnola.com

 

 

FOTOGRAFIA DE MODA: “ILUMINAÇÃO BUTTERFLY DE CONTRASTE INVERTIDO”

Olá, Amigos da EFO!

Hoje vou ensinar como fazer um esquema de iluminação que funciona muito bem para Beauty, Moda e Retratos (Femininos) que pode ser montado com speedlites ou strobes de estúdio com o mesmo resultado final.

Eu dei o nome de “Iluminação de Contraste Invertido” porque normalmente a luz frontal é mais suave e a do fundo é mais dura. Porém, aqui eu inverti as sombrinhas e usei na frente a prateada que é mais dura e no fundo a translúcida que cria um tom cinza em gradiente (degradê) mais encaixado naquilo que eu queria como contraste geral da fotografia na relação entre todos os EV´s dos dois planos (fundo e modelo).

É uma iluminação Butterfly que vem dos anos 40 e 50 com um toque moderno já que exclui as Zonas 0, 1, 9 e 10 da Escala do Sistema de Zonas e mantive os entre as Zonas 2 e 8 lembrando o que eu fazia no tempo da fotografia analógica quando optava por reveladores mais suaves e depois fazia a ampliação usando filtragem 2 com Papel Multigrade (0 a 5).

WINNETOO (83) copy copy

(modelo: Winnetoo / Make Up & Hair Omar Bergea / Foto: Fernando Bagnola)

Aqui está o esquema detalhado para que Vocês consigam praticar com segurança.

SEMI NU WINNETOO

Se você gostou deste tutorial, subscreva a nossa newsletter e apoie o Projeto EFO com o seu icone-curtir-facebook-contato (no final deste artigo).

Até a próxima!!!

Obrigado e um grande abraço!
TAMUJUNTO!!! 🙂

Fernando BagnolaFernando Bagnola, nascido em São Paulo, fotógrafo profissional desde 1984 atua nas áreas de moda e publicidade, vive em Portugal há 8 anos e desenvolve formações de Técnica Fotográfica e Edição no Photoshop através de workshops e cursos ao vivo por vídeo-conferência tendo alunos formados no Japão, Inglaterra, África, Brasil e Portugal.
portfolio: www.fernandobagnola.com               workshops: http://workshop.fernandobagnola.com