TÉCNICA DE ILUMINAÇÃO COMBINADA: “O QUE É A ILUMINAÇÃO COMBINADA??”

ILUMINAÇÃO COMBINADA: “LUZ NATURAL + FILL FLASH COM SOMBRINHA TRANSLÚCIDA + PHOTOGEL CTO 1/4 CORRETIVO

aOlá, Amigos da EFO!!!
 
Sei que pode parecer pretensioso, e não é esta a intenção, mas o termo “Iluminação Combinada” aplicado à Fotografia foi criado por mim e é uma das coisas que mais me orgulho nesta minha estrada de 30 anos de casamento feliz com a Fotografia. Se fizerem uma pesquisa no Google “Iluminação Combinada” vão ver que tudo o que aparece tem uma ligação direta com o meu nome (e isso é uma prova incontestável considerando que é o maior motor de busca da atualidade na internet) sendo que os outros links são todos fora da Fotografia e dizem respeito à venda de produtos de iluminação em geral.  A essência desta técnica está, incondicionalmente, ligada ao aproveitamento da luz disponível que é sempre a mais potente dentro do ratio entre as outras luzes e não o contrário. Ou seja, tudo é ajustado fotometricamente à luz natural que prevalece sempre e o flash (ou luz contínua artificial) tem, no máximo, 1/2 da leitura do fotômetro evitando que aconteçam sombras duplas ou cruzadas que estragam todo o trabalho, na minha forma de ver a construção desta iluminação que traz muita qualidade nos detalhes em todos os planos do enquadramento. Portanto, só há “Iluminação Combinada” se houver Luz Natural que seja o ponto de partida no comando todas as medições e a partir dela é que as outras são configuradas pelo ratio X, X/2, X/4, X/8 e dai por diante (X=potência total, X/2=1/2 potência, X/4=1/4 potência, etc).
 
Nesta fotografia de hoje, a luz frontal vem de uma janela que foi combinada com outra diametralmente oposta onde usei flash portátil com sombrinha translúcida que criasse brilhos lineares (e não pontuais) nas costas, corpo e nos ombros.
 
Como a luz da janela não era direta e estavamos em ambiente fechado, a temperatura Kelvin nas costas da modelo tendia para Shadow (6.500 K) que é um pouco mais para o cyan e “mata” os tons Red/Orange/Yellow (todos os meus alunos já sabem como isso é importantíssimo para um bom fotógrafo).
ESCALA KELVINPor essa razão, usei o Photogel CTO 1/4 (206) no flash (5.500K) que devolve o White Balance para tons mais “quentes” (3.700K) como se houvesse duas janelas opostas corrigindo os padrões RGB para níveis normais sem saturar por adição (veja a tabela de conversão que segue abaixo).
PHOTOGELS FILTERS 2ExpoImaging-Rogue-Flash-Gels
 
Como o chão era de madeira, achei que estava um pouco monótono como moldura do corpo e resolvi colocar um tecido azul para criar maior contraste entre cores complementares (opostas) para equilibrar graficamente os tons “frios e quentes”.E para deixar tudo muito bem explicado, aqui vai o esquema de iluminação:
Captura de tela 2015-03-11 15.37.19Se você gostou deste tutorial, subscreva a nossa newsletter e ajude a EFO com o seu valioso icone-curtir-facebook-contato (no final deste artigo).
Obrigado e até a próxima!!! É NÓIS!!! 🙂

Fernando Bagnola (by Max Moor)Fernando Bagnola, nascido em São Paulo, fotógrafo profissional desde 1984, atua nas áreas de moda e publicidade, vive em Portugal há 8 anos e desenvolve formações de Técnica Fotográfica e Edição no Photoshop através de Workshops de Iluminação e Cursos à distância (Skype) por vídeo-conferência com alunos formados no Japão, Inglaterra, Brasil e Portugal.


portfolio: www.fernandobagnola.com               workshops: http://workshop.fernandobagnola.com

 

 

5 comentários a “TÉCNICA DE ILUMINAÇÃO COMBINADA: “O QUE É A ILUMINAÇÃO COMBINADA??”

Responder a Cezarino Cancelar resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *